30.8.09

Sr. Diplomata...

Completando a terceira fase da releitura do Opala, a frente Diplomata.


Como seria uma reestilização da releitura (ou seria releitura da reestilização?) utilizei a mesma carroceria do Opala Luxo no qual tinha modelado, modificando principalmente a frente e traseira assim como foram as remodelações em sua história. Desta vez quis fazer um visual mais parecido com o padrão atual da marca, com a grade cortada ao estilo do Malibu.


A lanterna traseira é horizontal como nos Opalas da década de 80, mas seguindo o desenho do farol com um degrau deixando a parte de dentro mais fina. A entrada de ar na coluna C era o diferencial desta geração do Opala, quanto a ser falsa ou não, fica da imaginação de cada um, rs. Agora só faltam a Caravan e o Cupe remodelados.

O carro foi totalmente modelado no 3D Max como visto abaixo, no entanto usei uma imagem real para o fundo, com a ajuda do P.Shop encaixei o carro na posição correta.


Render do Diplomata em 3D Max

Reveja as outras fases das releituras e a história do Opala no IDD
Opala Luxo
Opala Comodoro
Caravan
Cupe

História do Opala (última parte)

Com 500.000 unidades vendidas o Opala recebeu profundas modificações em 1980 como a frente com farois quadrados e novas lanternas traseiras. Surgia um modelo ainda mais luxuoso, o Diplomata. A linha Opala ainda ganhou motores a alcool. Em 1981 um novo painel e em 1983 um sistema de ignição eletrônica e quinta marcha em overdrive

Em 1988 o Opala passou por nova remodelação, novos faróis em formato de tapezio, novos capô e painel e em 1991 mudanças como para-choque envolvente e a perda do quebra-vento. O Opala encerrou sua produção em 1992



23.8.09

...e o "belo Antonio" tenta de novo.

Eu já havia postado o Simca faz um tempo, mas agora terminei a traseira, adicionei alguns novos modelos e um wallpaper para os amigos do blog...

Wallpaper 1440x900 (Clique na imagem para ampliar)

Preservei a pintura bicolor, pois quando lembro do Chambord me vem a mente a cor branca seguida de uma outra cor, quis dar a ele com um visual bastante retrô e exótico, faróis inclinados para a frente e lanternas ao estilo "rabo-de-peixe".


Para o modelo mais luxuoso, o Presidence, não inclui o estepe "Continental" pois não ficou legal, o entre-eixos deste é maior. Para quem chutou que usei o Jaguar como base, errou, ficou até parecido mas usei o último Thunderbird.

Na versão esportiva Rallye, apesar do original possuir 4 portas resolvi diferenciar adotando uma variação 2 portas, combinou mais para um esportivo.

E como todo mundo pediria a
Jangada, já antecipo, ganhou um ar de "Nomad", mas se a idéia é ficar retrô, vamos lá então.


A versão pé-de-boi o Alvorada. Outros modelos como o Tufão e Esplanada deixo para uma próxima vez.

Quem quiser ver o novo Simca do Vigilante rodoviário acesse aqui...


HISTÓRIA DA SIMCA


Simca Chambord
Simca era uma marca francesa, que durou de 1935 a 1980. Em 1950 a Simca comprou a filial francesa da Ford, como já produziam o Ford Vedette, este modelo continuou como Simca Vedette, em 1956 com algumas modificações passou a se chamar Chambord, modelo que também seria produzido no Brasil. Simca Presidence e Simca Rallye
A Simca do Brasil foi fundada em 1958, e em 1959 apresentou o Chambord, um belo sedan de luxo derivado do Ford Vedette que possuia um pequeno motor V8, de 2350 cm3 de 88 cvs, pela pouca potência do motor ele ganhou aqui o apelido de "Belo Antonio" pois era bonito mas impotente. No ano seguinte veio a luxuosa versão Presidence no qual se destacava o estepe "continental" do lado de fora e um pouco mais de potência, em 1962 era a vez do esportivo Rallye que possuia 2 entradas de ar no capô. Em 1963 eram lançados 2 modelos, a perua Jangada e o despojado Alvorada, muito usado por taxistas.

Simca Jangada e Simca Tufão
Em 1964 foi apresentada a linha Tufão para substituir os Chambord, o Tufão vinha com modificações no teto, mais quadrado. Em 1966 novas modificações incluindo o novo motor Emi-Sul com potência aumentada para 130cvs graças as câmaras de combustão hemisféricas. Também foram apresentados novos modelos Esplanada e o Regente, a mudança mais radical da Simca desde então. Em 1967 a Simca do Brasil foi comprada pela Chrysler, que manteve os modelos em produção e adicionou o esportivo GTX e em 1969 foram substituídos pela linha Dart.
GTX e Esplanada

17.8.09

Retorno do Polara

O velho Dodginho retornou, mas salvaria a Chrysler? sei não...

O Polara em sua versão SE, vermelho característico da Dodge, para a frente pensei no padrão atual da marca ao estilo Avenger, farois duplos lembram o 1800, mas o vidro na frente e o pisca ao lado remetem ao Polara 78. 1800 ? não obrigado, agora é 2400 !!

O Polara cresceu um pouco em relação ao original, eu diria um híbrido de Saab com Dodge Avenger, a clássica traseira caída, mas com uma lanterna mais alta para dar um ar mais moderno, resultando num aspecto mais cupé ao modelo duas portas.

Para o uso normal a versão quatro portas que o Brasil nunca teve.


HISTÓRIA DO 1800 / POLARA

O inglês Hilmann Avenger

Lançado no Brasil em 1973, o Dodge 1800 foi um carro compacto desenvolvido pela Chrysler, baseado no Inglês Hilmann Avenger, apresentou muitos problemas desde mecânica até acabamento. Tinha um motor quatro cilindros de 1800 cm3 e 78 hp nas versões Luxo e Gran Luxo, um ano depois a versão esportiva SE. Ensaiaram até uma versão perua mas não vingou por aqui.

Dodge 1800 e Polara 78

Em 1976 com muitas melhorias o 1800 se tornaria o Polara, era um carro bem melhor que o 1800. Dois anos depois, o Polara ganharia nova frente com faróis quadrados e nova traseira. Em 1980 chega a versão GLS, e no ano seguinte, com a VW no controle da Chrysler do Brasil sua produção foi encerrada.


Dodge 1500 e VW 1500
Na Argentina - Ele também foi produzido na Argentina a partir de 1971, como Dodge 1500 (motor 1500 cm3), sendo remodelado em 1978, na Argentina o Dodge possuia versões 2 e 4 portas e a Rural (SW). Em 1980 com a VW no controle o Dodge 1500 passou a ser vendido como VW 1500 que durou até 1990.

13.8.09

Projeto Vena - Alicerces

Um teste de ergonomia do Projeto Vena (VEículo NAcional), a idéia seria uma forma diferente de dirigir um carro urbano, com o motorista ao centro e de posição elevada.


Seria um carro urbano voltado para uma pessoa e dois eventuais caronas (1+2), pessoas que quase sempre dirigem sozinhas, para o trabalho, faculdade, etc... não precisariam, portanto, de um carro que ocupe tanto espaço no trânsito e vagas, o carro teria menos de 3 metros, as proporções estão corretas, os bonecos do exemplo teriam 1,80 de altura, o banco da frente tem tamanho proporcional com as bases 50 x 50 cm, as medidas do banco de um carro comum, os bancos dos caronas são um pouco mais estreitos, teriam o espaço semelhante ao do quinto passageiro de um carro normal, mas como disse, são caronas eventuais, de qualquer forma teriam o benefício de maior espaço a frente para as pernas.
Só estou pensando que o motorista teria um pouco de trabalho na hora de pagar pedágio e pegar o ticket do shopping, mas como um amigo falou, seria saudável para o motorista pois não passaria pelo drive-thru, rs. mas ainda estou trabalhando pra resolver isso, inclusive no acesso, como não tenho recursos tenho que fazer alguns testes de ergonomia no meu próprio carro fazendo medidas, mas é divertido.

A estrutura não será com esse chassi, eu ainda tenho que mudar muita coisa, pois é apenas um estudo de ergonomia, para ver se os ocupantes caberiam no carro, estou apenas apresentando o conceito. Ele terá chassi monobloco e um motor traseiro, talvez elétrico, não sei ainda. A Smart recentemente havia anunciado estudos sobre um Forthree (para três) mas essa idéia eu já tinha na cabeça há um tempo, quem quiser acreditar acredite, mas é verdade, não estou copiando de ninguém.
O design final será revelado em breve, é o tal "ame ou odeie", mas comparado a certos minicarros indianos, é aceitável. hehe.
Quanto ao nome, não sei se será Vena (VEiculo NAcional) ou outro, o que vocês acham?

9.8.09

Escort "in focus"

Eu já havia mostrado a releitura do XR3, agora a família está completa.
Clique na imagem para ampliar

A versão 2010 do XR3 ganha máscaras negras nos faróis, e a versão mais luxuosa Ghia agora com 4 portas. Claro que este Escort não passa de um Focus estilizado, mas é para provar que não seria difícil revitalizar um clássico.
Agora disponibilizei a traseira do XR3 acompanhada da versão conversível, com alguns detalhes diferentes, porém ao contrário do antigo XR3 conversível que possuia lanternas diferentes, esta eu mantive a mesma, mas tem a tampa traseira semelhante a do Verona.Só por curiosidade eu quis saber como ficaria o Escort Hobby, o pé-de-boi da Ford.

O Verona mescla as duas gerações brasileiras, pois é indispensável para um sedan ter quatro portas hoje em dia, e um detalhe, esse é FLEX !!! rs

A Escort SW não mudou muito em relação a Focus, apenas algumas mudanças nas lanternas.


HISTÓRIA DO ESCORT

Geração européia de 1968 a 1980

ESCORT NA EUROPA - O Ford Escort surgiu na europa em 1968 para substituir o cansado Anglia, era um carro de três volumes e usava tração traseira, passou por uma modificação em 1975. O Escort dessa época ficou muito famoso em competições de Rally. Em 1980 surgiria a terceira geração, um carro mundial, de carroceria notchback, com motor transversal e tração dianteira, ganhou em 1983 a versão sedã, o Orion. Em 1986 passou por uma modificação até mudar completamente em 1990, mais tarde passou por mais uma reestilização e encerrou sua produção em 2000 para dar lugar ao Focus lançado em 1998. O Escort foi um dos carros mais vendidos no mundo na década de 80.

Gerações americanas

ESCORT NA AMERICA DO NORTE - O Escort americano seguiu uma linha de design independente do resto do mundo, foi lançado em 1981 mas logo em 1985 usaria uma plataforma Mazda, uma nova geração viria em 1997 sendo produzido até 2003.

ESCORT NA AMÉRICA DO SUL - Apresentado em 1983, o Escort, era o menor Ford brasileiro até aquele momento. Era disponível nas versões básicas L, GL, a luxuosa Ghia e a esportiva XR3, tinha versões 3 e 5 portas, exceto a XR3 que só possuia 3. O Escort contava com motores CHT de 1300 e 1600 cm3. Em 1985 surgiria a versão XR3 Conversível que possuia várias peças importadas, e lanternas traseiras exclusivas. Em 1987 a primeira restilização com nova frente, lanternas e interior. Por causa da Autolatina, o Escort recebeu em 1989 o motor AP 1800 da VW.
Em 1990 era apresentado o Verona, uma versão 3 volumes do Escort com 2 portas, era exclusivo no Brasil, pois o Orion europeu, era diferente além de possuir 4 portas, porém a versão brasileira era bem mais bonita, contava com as versões LX 1.6 e GLX 1.8. Este carro deu origem ao Apollo da VW. O Escort também foi fabricado na Argentina, tanto que o modelo Guaruja de 4 portas vinha de lá. Em 1991 o XR3 ganhou uma série especial chamada Fórmula, que contava com amortecedores eletrônicos.

Um novíssimo Escort surgiria em 1993, este carro foi a base dos Logus e Pointer da VW. O antigo Escort ainda seria produzido na versão Hobby, com motor 1.6 e posteriormente 1.0.
O novo Verona surgiu também em 1993, este era mais similar ao modelo europeu e possuia somente a versão 4 portas, este tinha motores VW de 1800 e 2000 cm3. Em 1995 receberia nova grade com o oval da Ford
Em 1997 tanto Escort quanto Verona deixaram de ser fabricados no Brasil, o modelo 97, que incluia hatch, sedan e uma indédita SW com os modernos motores Zetec de 16 válvulas vinham da Argentina, assim como o atual Focus. A produção do Escort encerrou em 2003.

2.8.09

Agilizando o Agile



Sketch oficial da GM

Nos últimos dias a GM divulgou esboços dando pistas sobre como seria o Agile (projeto Viva), futuro compacto da marca.

Protótipo Gipx apresentado no Salão do Automóvel e que supostamente serviria de inspiração ao futuro modelo

É claro que todo mundo já sabia como ficaria o modelo pois foram publicadas ótimas projeções como as das revistas Autoesporte, Quatro Rodas e do blog Area 75, o que eu fiz apenas (a pedidos) foi uma projeção tomando como referência o sketch oficial (acima) que a GM divulgou, assim como fiz no Mercedes SLR. Talvez não fosse esse o resultado final, mas tentei ser fiel ao sketch.


Usei por base uma projeção que postei recentemente a partir do Beat/Spark, aumentando um pouco as dimensões, e incluindo os detalhes do Sketch oficial como o arco das portas semelhante ao do conceito Gipx, alguns outros detalhes mantive por teimosia. rs


Seguindo um pouco adiante, pois uma coisa leva a outra, fiquei curioso de como seria a versão sedan, uma lanterna inspirada no Cruze.


E a versão picape, a Agile "Chevy", com uma traseira mais semelhante e também um pouco mais simples que a da Montana.