1.5.16

Santa Matilde, Batman !

Mesmo com o tempo mais escasso ainda sobra um tempo para mais uma tradicional releitura IDD,  desta vez um dos melhores esportivos do Brasil, o Santa Matilde SM.  (Continua...)


A idéia inicial era fazer a releitura do modelo hatch, mas achei que o modelo coupé 3 volumes ficaria bem melhor, e ficou.

Tanto na dianteira quanto na traseira forma um triângulo a partir do emblema da marca até a parte inferior do carro.
Muita ênfase nos elementos triangulares do modelo clássico.  

Imagino a motorização com um V6 ou um V8.

A versão conversível.

Modelagem e renderização: 3D Studio Max / V-Ray
Acabamento: Photoshop


História do SM

A Companhia Industrial Santa Matilde foi um fabricante nacional situado no estado do Rio de Janeiro, fabricava carros , vagões, tratores, componentes ferroviários e chegou a produzir até carrocerias de ônibus por pouco tempo.
Humberto Pimentel foi o idealizador do projeto, queria um esportivo nos moldes do Puma GTB, o projeto do SM se iniciou com a formação da equipe, o desenho foi assinado por sua filha Ana Lidia Pimentel. Suas linhas eram inspiradas em vários modelos esportivos da época, com muitos ângulos diagonais. A mecânica pensada inicialmente seria a do Alfa Romeo, mas a marca não deu a concessão para o motor, por causa disso a mecânica escolhida foi a do Chevrolet Opala 6 cilindros.
Apresentado em 1978, o SM 4.1 era um esportivo bastante luxuoso, e por causa disso ganhou a fama de ser o carro mais caro do Brasil. Em 1979 após alguns acertos ganhou direção hidráulica.
Em 1980 uma versão com motor do Opala 4 cilindros também foi disponibilizada.
Em 1983 surge um novo modelo com várias melhorias e carroceria coupé que substituiria a versão hatch. No ano seguinte foi a vez do modelo conversível.

A principal mudança para o modelo 1987 foi a mudança dos faróis duplos redondos para um retangular (o mesmo do Santana). As vendas do SM iam bem, surgiu até a idéia de uma versão 4 portas, porém, em 1988 um problema com o sindicato dos metalúrgicos afetou todas as áreas da fábrica e a produção em larga escala foi interrompida e a partir daí poucos funcionários se dedicaram a fabricação do carro, nos anos 90 pouquíssimos modelos foram feitos.  Um último modelo foi feito em 1997 com várias modificações visuais e com mecânica do Omega 6 cilindros. Em toda sua história 937 SMs foram fabricados.

Fonte: Wikipédia / www.smclube.com.br

8 comments:

Cristiano Stefanelli said...

perfeito!!! só não apostaria nos v6>>>...em tempo de downsizing 2.4 ou até mesmo o 1.5T...

El Misionero Meu Cérebro Minhas Regras said...

Isso com um V8 (351, 454, ou até mesmo 572) ficaria uma maravilha. Ou um V6 biturbo. Downsizing NÃO É LEI!!!!

Victor Pietrobon said...

carro esportivo tem que ter motorzão! dowsize? aff

PAULO RICARDO DE CARVALHO SARACELLI said...

Sim dowsising!! O plqbeta agradece, carro turbo é da hora tbm. Não faz sentido um motor pesado em um carro aparentemente lwvw, ia perder a frente com facilidade, a distribuição de peso seria um cocô

Bomber said...

Boa tarde amigo, achei seu blog por acaso, e achei incrível o seu trabalho.
Estava dando uma lida pelo blog e achei algo a respeito de um projeto seu, o projeto Vena/Pixel.
A quantas anda este projeto? Você chegou a construir uma maquete dele?

(Por Henrique Silveira Steinmetz).

Du Oliveira said...

Ola, sobre o Pixel, um empresário se interessou, até conseguimos uma pessoa para construir o protótipo, mas no fim não deu certo, faltaram parceiros para bancarem o projeto.

Bomber said...

É complicado, seria um veiculo que teria tudo para dar certo, se eu tivece dinheiro de sobra eu me interessaria em bancar o projeto...

FernandoZero said...

Excelente trabalho. Dos melhores já postados. O triangulo vazado incrustado na grade dianteira é garante uma identidade visual de simplicidade muito marcante. É interessante como até hoje não vimos alguma marca explorar este Delta como identidade. Muito bom.