1.5.16

Santa Matilde, Batman !

Mesmo com o tempo mais escasso ainda sobra um tempo para mais uma tradicional releitura IDD,  desta vez um dos melhores esportivos do Brasil, o Santa Matilde SM.  (Continua...)


A idéia inicial era fazer a releitura do modelo hatch, mas achei que o modelo coupé 3 volumes ficaria bem melhor, e ficou.

Tanto na dianteira quanto na traseira forma um triângulo a partir do emblema da marca até a parte inferior do carro.
Muita ênfase nos elementos triangulares do modelo clássico.  

Imagino a motorização com um V6 ou um V8.

A versão conversível.

Modelagem e renderização: 3D Studio Max / V-Ray
Acabamento: Photoshop


História do SM

A Companhia Industrial Santa Matilde foi um fabricante nacional situado no estado do Rio de Janeiro, fabricava carros , vagões, tratores, componentes ferroviários e chegou a produzir até carrocerias de ônibus por pouco tempo.
Humberto Pimentel foi o idealizador do projeto, queria um esportivo nos moldes do Puma GTB, o projeto do SM se iniciou com a formação da equipe, o desenho foi assinado por sua filha Ana Lidia Pimentel. Suas linhas eram inspiradas em vários modelos esportivos da época, com muitos ângulos diagonais. A mecânica pensada inicialmente seria a do Alfa Romeo, mas a marca não deu a concessão para o motor, por causa disso a mecânica escolhida foi a do Chevrolet Opala 6 cilindros.
Apresentado em 1978, o SM 4.1 era um esportivo bastante luxuoso, e por causa disso ganhou a fama de ser o carro mais caro do Brasil. Em 1979 após alguns acertos ganhou direção hidráulica.
Em 1980 uma versão com motor do Opala 4 cilindros também foi disponibilizada.
Em 1983 surge um novo modelo com várias melhorias e carroceria coupé que substituiria a versão hatch. No ano seguinte foi a vez do modelo conversível.

A principal mudança para o modelo 1987 foi a mudança dos faróis duplos redondos para um retangular (o mesmo do Santana). As vendas do SM iam bem, surgiu até a idéia de uma versão 4 portas, porém, em 1988 um problema com o sindicato dos metalúrgicos afetou todas as áreas da fábrica e a produção em larga escala foi interrompida e a partir daí poucos funcionários se dedicaram a fabricação do carro, nos anos 90 pouquíssimos modelos foram feitos.  Um último modelo foi feito em 1997 com várias modificações visuais e com mecânica do Omega 6 cilindros. Em toda sua história 937 SMs foram fabricados.

Fonte: Wikipédia / www.smclube.com.br

9 comments:

Cristiano Stefanelli said...

perfeito!!! só não apostaria nos v6>>>...em tempo de downsizing 2.4 ou até mesmo o 1.5T...

El Misionero Meu Cérebro Minhas Regras said...

Isso com um V8 (351, 454, ou até mesmo 572) ficaria uma maravilha. Ou um V6 biturbo. Downsizing NÃO É LEI!!!!

Victor Pietrobon said...

carro esportivo tem que ter motorzão! dowsize? aff

PAULO RICARDO DE CARVALHO SARACELLI said...

Sim dowsising!! O plqbeta agradece, carro turbo é da hora tbm. Não faz sentido um motor pesado em um carro aparentemente lwvw, ia perder a frente com facilidade, a distribuição de peso seria um cocô

Bomber said...

Boa tarde amigo, achei seu blog por acaso, e achei incrível o seu trabalho.
Estava dando uma lida pelo blog e achei algo a respeito de um projeto seu, o projeto Vena/Pixel.
A quantas anda este projeto? Você chegou a construir uma maquete dele?

(Por Henrique Silveira Steinmetz).

Du Oliveira said...

Ola, sobre o Pixel, um empresário se interessou, até conseguimos uma pessoa para construir o protótipo, mas no fim não deu certo, faltaram parceiros para bancarem o projeto.

Bomber said...

É complicado, seria um veiculo que teria tudo para dar certo, se eu tivece dinheiro de sobra eu me interessaria em bancar o projeto...

FernandoZero said...

Excelente trabalho. Dos melhores já postados. O triangulo vazado incrustado na grade dianteira é garante uma identidade visual de simplicidade muito marcante. É interessante como até hoje não vimos alguma marca explorar este Delta como identidade. Muito bom.

Fernando said...

Seria legal ver uma versão shooting brake! Você poderia disponibilizar um blueprint deste desenho?