26.4.15

Citroën 2CV

A releitura de um dos carros populares mais icônicos do mundo, o 2CV, e já vem com abridor de latas, rs.

Tentei ser fiel a vários detalhes do modelo original, como os vincos no capô, o teto de lona, o formato das portas, apenas não deixei a roda traseira tampada, esse detalhe não ficou bom nessa versão moderna.


A atual identidade visual da Citroën está presente no formato da grade dianteira e no logo.



Modelado e renderizado no Autodesk 3D Max, acabamento final em Adobe Photoshop.


História do 2CV

Em 1936 a Citroën iniciou os estudos para a fabricação de um carro popular que acabou resultando no projeto TPV, logo depois 2cv, era um carro pequeno e espartano  com tração dianteira, motor de 2 cilindros de 375cc, a carroceria era reduzida ao mínimo e montada com chapas onduladas, a capota de lona se abria por todo o teto. Foi construído de modo que todas as suas partes poderiam ser removidas e montadas com  poucos parafusos.

O desenvolvimento foi interrompido durante a segunda guerra e o lançamento acabou acontecendo apenas em 1948 causando diferentes reações, alguns ficaram admirados outros fizeram piadas do tipo: "e onde está o abridor de latas?"   Muitos não entenderam o conceito do carro, a idéia da Citroën era substituir as carroças dos fazendeiros.


Em 1954 a cilindrada foi aumentada para 425cc , o permitiu ao 2cv alcançar 80 km/h, e recebeu uma transmissão semi-automática do tipo centrífugo. Em 1965 a potência foi novamente aumentada em 18cv e sem aumentar a cilindrada, recebeu também o limpador de parabrisas de comando mecânico e a transmissão homocinética. 


O 2cv parou de ser fabricado na França em 1988, praticamente com a mesma carroceria, porém, continuou sendo produzido em Portugal até 1990. Durante toda sua história foram fabricados mais de 5 milhões de unidades.

11 comments:

cRiPpLe_rOoStEr a.k.a. Kamikaze said...

transmissão automática centrífuga, tem certeza? não era só a boa e velha embreagem saxomat? essa tinha um platô centrífugo que mantinha a embreagem acionada em stall e um sistema a vácuo que atuava durante a seleção das marchas por meio de um contato elétrico montado na base da alavanca

Du Oliveira said...

Essa informação estava na enciclopédia do automóvel, recebeu em 1954 e essa transmissão, mas eu deveria ter escrito "semi"-automática.

cRiPpLe_rOoStEr a.k.a. Kamikaze said...

o bom do câmbio semi-automático era não trazer maiores prejuízos ao desempenho já bastante modesto, como um automático convencional faria

a propósito: chegou a cogitar algum conjunto mecânico que pudesse ficar apropriado a esse projeto?

Du Oliveira said...

Pela proposta do carro um motor elétrico o deixaria muito caro, acho que fatalmente seria o 1.2 3 cilindros do grupo PSA.

El Misionero Matsuura Junichiro a.k.a. Marcos Freybert said...

Em um caso de relançamento, ou reedição, ele provavelmente viria com o motor 1.6 THP da BMW, que lhe cairia muito bem. O bom e velho guarda-chuva sobre rodas.

Du Oliveira said...

Mas o que Citroën tem a ver com BMW? rs

cRiPpLe_rOoStEr a.k.a. Kamikaze said...

a família de motores prince foi desenvolvida em parceria entre o grupo psa e a bmw

Du Oliveira said...

Bom saber!

roni girardo said...

Bem bolado o detalhe da porta dianteira (chevron)!!

DS said...

Excelente ideia
Projeção ficou 10.
O detalhe das portas com o chevron ficou maravilhoso.
Este merece ser enviado à Citröen.
Uma sugestão minha, sei que sairia da prposta do carro mas um modelo com duas portas tb ficaria legal
Por fim, de todos os seus trabalhos este foi o que mais gostei.
abraços

DS

PS. Ah sim, que eu saiba o carro tb foi feito na Argentina e talvez Uruguai. É um carrinho que fez muito sucesso tb na África, tem até a história de um cara que pegou um carro desses e o transforou em moto para fugir do deserto.

Mano said...

Sim, foi feito na Argentina onde se chamava Citroën 3CV e chegou a ter faróis retangulares.