13.10.10

Análise de estilo: Montana 2011

A Nova Montana já está nas ruas, mas de Montana só tem o nome...
Não querendo ficar para trás da concorrência a Chevrolet apresentou a nova Montana (está mais para picape Agile), a parte da frente conserva o mesmo estilo do Agile, com exceção do parachoque que ganhou um novo desenho ficando até mais bonito que o do hatch, esse parachoque poderia até dar um indício de como ficaria a cara da versão aventureira do Agile, sem contar que muita gente vai pensar em trocar o parachoque do seu Agile em lojas de acessórios. Os faróis e grade são praticamente os mesmos, apesar  de um pouco exagerados em tamanho combinaram mais para o utilitário do que no Hatch. O Vinco elevado no teto é algo diferente, começa no parabrisa e termina no Brake light, não sei se tem alguma função ou se é apenas estético, talvez para abrigar melhor o hack de teto.


Na lateral a porta é a mesma que a do hatch 4 portas, isso talvez descarte a possibilidade de termos um Agile 2 portas no futuro, a janela traseira assim como a caída não são tão inclinadas como na Montana derivada do Corsa, na qual eu achava muito bonita que lembrava a inclinação da El Camino. Já os vincos laterais na parte da caçamba lembraram os da antiga Montana simulando um "Step-side", mas um ponto que melhorou bastante em relação a antiga picape foi a caçamba não ser tão alta, isto prejudicava muito a visibilidade traseira, antigo hábito da Chevrolet desde os tempos da Chevy. A traseira tem uma lanterna bem desenhada que acompanha o vinco lateral, mas o ponto que vai polemizar é a placa na tampa, aliás acho que é a primeira picape que eu vejo com a placa na tampa, claro que agora tem uma legislação que não permite mais a retirada ou abertura da tampa, vai desagradar muitos que costumavam retirá-la para transportar 2 motos de uma vez. A abertura por chave foi uma boa sacada, pois evita o furto. O parachoque traseiro é de chapa, deixando-o mais resistente.

Conclusão: É uma picape com uma aparência robusta dando a sensação de ser uma picape de maior porte, o visual ficou muito bom para um utilitário, mas não tem a mesma elegância da geração anterior. 

Pitaco Digital: O pitaco não seria uma crítica, é apenas para ver (por curiosidade) como ficaria com a placa embaixo.

E como ficaria uma futura versão com cabine dupla? Fiz a pedido de um leitor.

16 comments:

Leonardo Andrade said...

Nossa Du, vlw por ter atendido meu pedido! Mais essa cabine estendida está mais pra cabine dupla em?

Du said...

foi mal, digitei errado.

Nanael Soubaim said...

A placa em baixo ficou muito melhor, principalmente porque já é permitido trafegar sem a tampa da caçamba, se necessário. A cabine dupla é mais uma daquelas idéias que a Fiat põe em prática e as outras demoooooram a se dar conta. A única alteração estética que eu faria, até porque a GM não quer gastar com o Brasil, seria reduzir a grade, deixando a parte inferior alinhada com as linhas dos faróis.

Guilherme said...

Du,gostaria de saber onde você acha as fotos da Montana,pois as quero para mudar algumas coisas.Poderia usar as suas?

cRiPpLe_rOoStEr a.k.a. Kamikaze said...

eu prefiro a placa embaixo pq assim viabiliza remover a tampa sem ter que enjambrar outro suporte para a placa...

Du said...

Guilherme, me manda um e-mail para irmaododecio@gmail.com que eu lhe passo.

admx said...

Olhei de relance a trazeira "pitacada" e pensei que era a verdadeira... até pensei em comprar a picapinha por causa disso. A tampa real é horrível e, como já disseram, não permite retira-la para eventuais necessidades. Que bola fora da GM, pelamordedeus! Que trazeiro feia. nunca compraria só por causa dessa parte. Precisam chamar vc lá Edú.

Bob Ramone said...

Alguém joga uma pedra em min...
eu axei a Pick-Up Agile (Montana) Bonita :S kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Joni said...

eu acho que na tua projeção da cabine dupla poderia ter uma porta maior e sem o step side, já que ele ficou meio sem sentido, ou com rack de teto, daí o step side tem alguma função...
mas a tua projeção tá muito bem feita, parabéns

cRiPpLe_rOoStEr a.k.a. Kamikaze said...

até que é bonita a pickup agile... ficavam criticando o agile por causa da frente "de caminhão" mas numa pickup ficou bem proporcional...

PAULO RICARDO DE CARVALHO SARACELLI said...

Du meu velho, não me leve a mal, mas essas linhas do agile e da ''nova'' montana, são simplesmente horrorosas!!! não é a toa que são apelidado no mercado de ''arghgile e monstrana'', isso sem contar que a montana rgrediu demais em estrutura, ela usava a base do corsa D de 2000 e agora usa uma base do corsa B de 1993!!! isso é absurdo!!!, o carro não evoluiu e sim regrediu...

como o projeto Gpix era bonito... mas fizeram essa cagada.

portanto, todo mundo diz que o carro pra ficar bonito têm que nascer do zero portanto te proponho um desafio!!

transformar o agile num carro agradável, sem que seja necessário mudar os componentes que foram reaproveitados de corsa e celta.

o best cars fez uma análise de estilo dessa ''nova'' linha e talvez te ajude um bocado: http://www2.uol.com.br/bestcars/artigos2/338-analise-estilo-agile-montana-1.htm

bem, o desafio tá lançado!!

are you ready?

rsrs

PAULO RICARDO DE CARVALHO SARACELLI said...

responde aí Du, quaro saber se vc aceita o desafio

Tiago Ziviani said...

ficou bem bacana, mas realmente, só o nome da montana msm
e o apoiados de pés na lateral
mas tah bonita
só q mudou de família né
foi pra familia do Agile

Du said...

Vou pensar no caso, mas teria que mexer na chapa, pra ficar satisfatório tem que ser uma reestilização pesada.
Alias, eu tinha feito uma projeção antes do lançamento baseada no Sketch oficial, tinha ficado bom, mas o carro oficial não ficou fiel ao sketch. fazer o q...

http://irmaododecio.blogspot.com/2009/08/agilizando-o-agile.html

jovys said...

Cheguei a mandar o seu e-mail uma versão com a frente e grade do Vectra GT... acho que são tantos e-mails que você não chegou nem ver né? Da uma procurada la... valeu...!!!

Martinus said...

Nem o irmão do Décio é capaz de deixar este carro bonito (com o devido respeito)... Sem dúvida é o mais feio fabricado atualmente no Brasil.