22.5.09

Opala Luxo e SS

Finalmente está pronto, o Opala Luxo eleito pela enquete com 42 %, modelado no 3D Studio Max. É bom lembrar que comemoramos 40 anos do lançamento do Opala.


A inspiração clara no modelo de 1969, a grade com vários frisos horizontais cromados e os faróis cortados em cima dão um ar de "mau", as rodas também foram inspiradas na calota do primeiro modelo.


Na lateral as linhas retas contrastam com a cintura "garrafa de coca-cola" como muitos carros das décadas de 60/70 tinham, mas foi imortalizada no Opala.


Como a traseira ficou bem retrô, leds dão um toque mais atual. A tampa do porta-malas encontra com o para-choque, fato que não permitiu a colocação da tampa do tanque de combustível atrás como era no Opala, talvez o único detalhe que não pude realizar.


Para dar um ar mais esportivo ao post, deu até para fazer uma versão inpirada no primeiro SS que era 4 portas, a roda também foi inspirada no modelo original. Quanto ao motor, na enquete os internautas escolheram o V8 Northstar, esse motor cairia bem nessa versão SS, para as demais versões eu pensaria num V6 3.6 Alloytec e um 2.4 Ecotec.


As viaturas policiais derivadas do Opala impunham respeito, por isso fiz esta versão para a PM de SP.


Já que muitos me pediram para fazer as outras frentes (Comodoro e Diplomata) pretendo fazê-las também, seguindo a cronologia, do Opala Luxo ao Diplomata, e quem sabe Caravan e o Cupé...



História do Opala (Parte 1 1969-1971)



O Opala foi apresentado em 1968-69,como o primeiro automóvel brasileiro da Chevrolet, era um carro de luxo com base no Opel Rekord alemão, com detalhes inspirados no Chevrolet Nova americano. Apresentava motores de 4 cilindros de 2500 cm3 e seis cilindros de 3800 cm3.

Em 1970 veio o modelo esportivo SS, o motor passava a ter 4100 cc, e possuia 4 portas. (continua...)


61 comments:

Anonymous said...

Copia descarada do Camaro SS.

Shima said...

Todo fã de automovel fica imaginando como seria um carro que saiu de linha, seria hoje. E com muito trabalho, talento e dedicação este artista nos presenteia com estas belissimas imagens. Obrigado Eduardo.

Calieno said...

Po ficou maravilhoso, bem ao estilo dos Muscle Cars Americanos, o problema que custaria uma furtuna, mas da para a Chevrolet construi-lo sobre a carroceria do Vectra. Seria muito bom.

O que que a Chevrolet falou do projeto? eles já viram?

Só não gostei muito das rodas, mas nada que tire o brilho do seu projeto. Parabéns!!!

vilister Bartik said...

Bom, pra mim ficou uma mescla de um Chrysler 300C (cintura alta) com o Camaro atual. Ficou bacana! Eu acredito que um para-choque destacado, não tão incorporado à carroceria daria um ar mais agressivo. Bom, quem sabe no cupê não fique melhor? A versão 4 portas era mais "família" mesmo! Abraço.

Germano said...

ficou muito bom...mais imponenente que o camaro novo...hehehe

Rapha said...

Nunca gostei de Opala, mas para este aí eu entrava na fila para comprar! Show de bola! Um abraço.

Allan said...

Velho, sinseramente não deixou nada a desejar no opalão ai viu.
Meus Parabéns, mandou muito bem mesmo.
Seria um concorrente do 300c?
:D
valeu.

Jota Luis said...

pro idiota anonimo que disse ser copia do camaro, a frente do opala original nao era identica a do chevelle?? O opel gt nao era identico ao corvette mako shark? se inspirar no padrao da marca não é copia, todos os designers fazem isso.

Anonymous said...

FICOU ÓTIMO

Nameless-One said...

Mais uma vez uma excelente releitura, quem sabe um ia alguma montadora reconheça seu talento, ao invés de intimidar e depois mandar uma desculpa esfarrapada dizendo que foi sem querer, quando viram a repercussão que deu, tiveram que voltar atrás, mas voltando a seu OPALA, ficou lindo, umas das releituras mais legais qu já ví no blog.
Depois vc poderia vazer uma releitura do BR800? como andam na moda esses micro-carros, como o tata nano poderia ser interessante imaginar como ele ficaria hoje em dia abraços e parabens!

Dadu said...

Faz pouco tempo que visito seu blog, mas já o faço com certa frequência pois seu trabalho é fantástico!
Também sou um aficcionado por carros musculosos (principalmente opalão) e achei excelente sua releitura desse clássico.
Mal posso esperar (e acredito que não esperarei em vão) a sua postagem dos modelos "74 cupê SS com meia capota de vinil" e dos cupês SS de 75 em diante com lanterna redondinha.
No mais, xará, parabenizo por todos os outros trabalhos e convido a visitar alguns de meus desenhos em:
http://www.flickr.com/photos/76372025@N00/

...onde eu também fiz minha releitura do opala cupê em C. Draw.

Um abraço

Aciron Alano said...

Quero fazer minha encomenda de dois modelos, um Opala 3.6 V6 preto com interior em cinza claro, e um SS V8 vermelho com interior preto e vermelho. Grato.

Anonymous said...

Opalão foi primeiro à AutoEsporte e depois veio pro blog?? :(

Nanael Soubaim said...

Rapazinho, trate de convencer a GM a fabricar esse carro, o senhor atiçou minha sanha porque quis.

Anonymous said...

Nossa ficou otimo!!!
Parabens pelo trabalho!!

Álvaro Azevedo. said...

Parabéns pelo trabalho.Há um design que é apelidado de "barba" é um dos chefes do centro de design da GM, ele fez uma reeleitura do Opala em 2005,saiu até em revista, se puder procure saber à respeito,pois ficou surpreendente. Um abraço.

fmbnd said...

Não gostei muito da lanterna traseira, mas a frente ficou mto show!

Se algum dia tu puder fazer uma releitura do tucker torpedo acho que iria ficar legal!

Anonymous said...

Muito bom!

Du(irmaododecio) said...

Sim mostrei a eles (AE) antes e gostaram, foi exclusividade. hehe.
e eu tive que aprontar a viatura de policia, por isso demorou pra mim publicar no blog.

PAULO said...

" e quem sabe o Cupé."

e qm sabe o coupé? vc tá intimado a fazê-lo rapaz, deixa disso :P

muito boa a releitura. poderia pelo menos virar carro conceito pq com essas proporções não vira carro de produção não :P

e sobre fazer uma releitura do tucker acho meio difícil. akele carro parecia ter vindo do futuro haha

le4100 said...

Muito bom. Parabéns o carro ficou muito atual e com um maravilhoso estilo retrô.
Ps: Por favor, corrija a explicação da sigla "SS". Mesmo que a GM nunca tenha assumido uma só explicação, elas eram "Super Sport" ou "Separate Seats", como os Impalas, Chevelles e Malibus americanos. Silver Star foi uma outra serie do carro nos anos 80, que por sinal, nada tinha de esportivo.

PAULO said...

"e quem sabe o Cupé."

como é? vc está intimado a fazer a versão coupé rapaz. e a caravan também :P

ficou muito bom o opala. poderia pelo menos virar carro conceito já q como carro de produção é meio difícil.

PAULO said...
This comment has been removed by the author.
Anonymous said...

Muito bom...

cRiPpLe_rOoStEr a.k.a. Kamikaze said...

sugiro que faça uma caravan 4 portas, mais familiar, e na de duas portas faça com um estilo mais puxado para as shootin' brakes... e não esquece da versão ambulância...

Erick X. said...

Concordo com o leitor acima... uma Caravan VEEERDEEE cairia muito bem! ^^

GP Oficina Mecânica said...

Muito bom trabalho e bom gosto como sempre...

A frente ficou muito boa e atual, agora a traseira não sei não... ficou meio estranha....

Parabens!

Carlos Eduardo Szépkúthy

Anonymous said...

Ficou bem legal, ainda que eu esteja esperando pelos outros modelos, principalmente os de frentes mais atuais.
Há coisas que ainda estranho na projeção, como as linhas um tanto truncadas na traseira. A marca do Opala é a fluidez de linhas na traseira. Ainda que angulosas, elas têm fluxo suave na linha de cintura e na caída do teto. A fluidez é ainda mais acentuada no cupê, cuja traseira a Opel copiou do AMC Marlin e não dos GMs americanos de mesma época, justamente por conta da maior fluidez das linhas. Note-se que na linha de cintura de qualquer Opala ou Caravan não há quina na subida que dá o aspecto de "garrafa de Coca-Cola". A traseira do cupê é quase uma "Bangle butt", mas mais classuda.

Pelo número de reações aqui, também dá para notar que não só há uma legião de fãs do Opala, como também de brasileiros que querem que voltem a ser fabricados carros de tração traseira com preços decentes no País, como era o Opala (que já chegou a ser vice-líder geral de vendas). Eu adoraria que isso acontecesse. E a PM que tem de se equilibrar em Blazers instáveis, também. Fora que a Presidência da República teria de voltar a usar carros fabricados aqui em vez de Omegas australianos e Fusions.
Falaram de alguns motores para a barca renovada, mas não precisamos ser assim tão fiéis àquilo que ocorria no Opala original ou mesmo no Omega. A sugestão que deixo de motor é um simplesmente excelente e que talvez fizesse alguns esquecerem que existe motor de seis cilindros: o 2.0 16v turbinado usado em Chevrolet Cobalt SS, Pontiac Solstice GXP e Saturn Sky RedLine. 260 cv, injeção direta, bebe pouco e anda muito bem.

Perguntaram sobre concorrência com o 300C, mas eu iria mais além: outra das marcas do Opala era seu tamanho racional. Ele chegou a no máximo 4,70 m de comprimento (frente quadrada). Os primeiros Opalas tinham 4,57 m. E em ambos os casos, podiam levar seis adultos confortavelmente, caso o banco dianteiro fosse inteiriço.
OK, os carros cresceram em 40 anos, mas ainda assim dá para fazer um carro de tração traseira, uns 4,8 m e ótimos espaços interno e de bagagens. E é isso que um hipotético novo Opala teria de ser: um meio caminho entre o Vectra e o Omega australiano. Há também recursos de engenharia para que se concilie suspensão traseira independente e um assoalho que não tenha um ressalto de cardã tão acentuado. Vejam os carros da Subaru, que têm tração integral permanente e ressalto central no assoalho tão baixo quanto o da média dos carros de tração dianteira. Sim, por baixo passa um cardã que gira o tempo todo, obrigando aquela área a ser bem reforçada para suportar as vibrações, bem como esse ressalto tem de ter altura suficiente para que o cardã não fique abaixo da altura livre do solo.
Algumas sugestões para o Du Oliveira nas próximas projeções do Opala:

1) Rrodas calcadas no estilo das "mexericas" de ferro dos Opalas de 1979 em diante. Se servir de guia, olhe a galeria do Camaro (http://www.chevrolet.com/vehicles/2010/camaro/gallery.do) e veja a de ferro, a última da direita. Linda, não? Pois bem, bastaria imaginar uma dessas, mas com aro menor (16 acho que está bom) e cor prateada no aro e no disco. E, claro, esperando que as pessoas tenham bom gosto e senso de não querer supercalotas nelas. E já que aqui é Brasil, roda de ferro dá menos manutenção que de liga.

2) Como uma das próximas abordagens irá se inspirar na frente do Diplomata, dá também para focar mais na herança estética do que em uma abordagem explicitamente retrô. Pensemos aí em carros como o Nissan 350Z e o Golf europeu atual, que muito lembram os originais (240Z e Golf I, respectivamente), mas nada têm de retrô. Um dos grandes problemas do estilo explicitamente retrô é que ele pode sim ser legal e chamativo, mas gera problemas na hora de suceder o modelo, enquanto a abordagem focada na herança estética dispensa isso, dando a ideia de continuidade sem forçar a barra. O Golf sempre tem um sucessor e recentemente, o 350Z deu lugar ao 370Z (cujas linhas muito lembram as do Datsun 280Z, mas sem cair no retrô).

Rellik said...

Gostei. Ficou com cara de CARRO DE MACHO!!!! Agora só falta o motor Ecotec 4.1. O V8 Northstar também cai bem. Pode até fazer um V6 3.0 24v biturbo. Também iria ficar legal. Ou até mesmo um V10 ou V12. Os teus trabalhos ficam beeem melhor que os das fábricas, que parecem ter sido feitos por boiolas.

Du(irmaododecio) said...

Anonimo, belo texto, realmente dei uma exagerada na lina de cintura, mas é um meio de deixá-lo mais agressivo e atraente para o consumidor atual, tentei deixá-la mais suave mas o carro ficava muito igual ao antigo Opala, a frente e traseira deste modelo, realmente ficaram retro, mas as outras reestilizações que pretendo fazer irão evoluir em um padrão atual da marca, principalmente no diplomata e a traseira não terá esse afundado. (ver post Opala interativo)
Interessante a roda que você sugeriu, pode ser que eu me inspire nessa.

iO said...

Parabéns!

É bom termos a noção de como seriam estes carros hoje em dia, em especial o Opala que é um dos maiores ícones da indústria brasileira. Só uma sugestão: na versão coupe, que tal colocar, ainda que fake, o bocal do tanque entre as lanternas, como ocorre hoje com o Mustang GT?

abs e sucesso!
Fred

Juliana said...

Oi Du - o irmão do Decio - tudo bem?
Lembra de mim? Juliana da Semp! rs
Quanto tempo!
Puxa, adorei as suas releituras, que talento!!!
Parabéns :-)
Ah, o Decio me contou sobre o programa q vai ao ar no domingo, ficarei ligada!
Beijos

Anonymous said...

Du, sobre o detalhe da fluidez das linhas do Opala original, entendi aonde quis chegar. É que me lembrei do trabalho (ainda que pequeno) da filial brasileira da GM para melhorar as linhas originalmente pesadonas do Rekord C. Pelo que já li a respeito, o trabalho da filial brasileira ficou tão bom que a Opel chegou a pensar em reestilizar o Rekord C com as linhas do Opala.
O grande galho dos desenhos mais pesados é que eles acabam por pedir mais reestilizações com o passar dos anos. Vide o número de vezes que o Gol mudou de cara (e isso vale tanto para plataforma BX quanto AB9). E isso em um espaço de menos de pouco mais de 20 anos. Se compararmos com o Uno (que também é tão anguloso quanto essas duas gerações do Gol, mas deu uma arredondada nas arestas), a coisa fica ainda mais evidente. Vide também o 206, que passou anos e anos sem mudar as linhas (e quando mudaram mais, fizeram aquela tragédia que querem que acreditemos que faça jus ao nome 207).

Como ex-dono de linha Opala, uma das marcas que vejo nesse modelo é o fato de ele ter construção forte sem precisar denunciar muito isso pelas linhas externas. O grande barato dele era ser o carro de macho escrito e juramentado justamente com as tais linhas extremamente fluidas. Esse talento em desenho a GM brasileira só voltaria a repetir nas primeiras carrocerias de S10 e Blazer, que geraram elogios da matriz (cuja S10 era bem feinha) e exportações de estampos para fazer a Isuzu Hombre. Tudo bem que elogiaram muito e em 2001, a S10 e a Blazer viraram aquela tragédia estilística que de três em três anos é reestilizada para ficar ainda mais feia.
Porém, continue o bom trabalho e avise ao pessoal da GM que a galera aqui quer em peso que eles voltem a fabricar carro de tração traseira. Tudo bem que uns querem porque querem para fazer drift, mas outros querem por causa das qualidades intrísecas da construção. Se a GM oferecer o que um BMW Série 1 ou 3 oferecem, mas com mais espaço, força e preço mais baixo, podem acreditar que não só o Brasil como outros países adorarão a proposta.

Du(irmaododecio) said...

Oi Juliana, é verdade, acredito que no dia 31 (a confirmar) no programa autoesporte da globo tenha uma reportagem com o autor deste blog, com direito a sotaque do "interiorrr" e tudo, rs

Du(irmaododecio) said...

Anonimo (põe um nome aí!), realmente traçao traseira é bem mais excitante, pena que esteja em extinção, mas achei interessante o Fusion V6 com tração nas 4.

Anonymous said...

ñ gostei fikou mto mto retro du vc de via ter caprichada masi nesse espero q as otras versoes saiem melhores

Du(irmaododecio) said...

A idéia é essa, opala luxo e comodoro seriam retro, mas o Diplomata adotaria um padrao mais atual ao da marca.

Pessoal, peço que ao postarem coloquem um nome qualquer, pq é chato responder a um anônimo, vlw.

Alisson miolA said...

Belo trabalho amigo. Parabéns.

Nanael Soubaim said...

"Ficou muito retrô"? É um Opala.

Mark said...

Eu curti! Bem do tipo Opala 4 portas, bem família. As rodas do SS estão demais!

Parabéns!!

leothedj said...

Estupidamente SENSACIONAL!!

Leonardo said...

aahhhhh!!
vo perde o auto esporte de domingo dia 31, pq vo faze vestibuular!!!
aaahhh, alguem GRAVE E POE NO YOUTUBE POR FAAAVOOOOOR!

wilson welco said...

Bom dia Edu. Parabéns pelo Opala, que ficou do kct, e pelo esclarecimento do "Causo Volkswagen", cuja resolução me deixou feliz por você ( afinal ter gente jogando contra nunca é bom), pela VW (atitudes antipáticas sempre acarretam antipatias) e por mim, que gosto da marca. Seus desenhos estão me fazendo mudar de idéia quanto a "reedições de mitos" que, de uma maneira geral, considero apenas oportunidades de marketing, em detrimento do verdadeiro sentimento da paixão. Mas isso é outra história.
Gostei de vê-lo na fábrica (que inveja...rsrsr), onde pretendo um dia ser fotografado também.
Por fim, parabéns pelo blog, onde sempre acho diversão e novidades.
Um forte abraço

Wilson WELCO Amorim
Opala Clube do Rio de Janeiro

Pedro Gomes said...

pessoalmente, acho q as linhas podem ser mais fluidas, o opala original tinha mais pompa, mais detalhes...
no geral o carro pode ganhar mais curvas, está meio caixote...
o desenho da frente ficou excelente, a traseira merece mais capricho...

Rafael Guimarães said...

Sensacional! O primeiro carro do meu irmão, que eu ajudei a comprar em 1990. Parabéns!
Eu só tenho uma sugestão: Acho que esses frisos cromados que alguns carros antigos tinham (inclusive o opala) deixavam os carros com um visual super luxo.
O fiat siena está explorando isso na última versão. gostaria de ver esse opala seu com mais desses "opcionais". acho que daria uma ar retrô fantástico. um abraço.

3dgraph said...

Magnífico trabalho, ou melhor, retrabalho.

Parabéns mesmo.

Wagner Lannes said...

Esses Anônimos são foda mesmo.... nem vou dizer nada... apenas que você é o cara meu querido! Parabéns pelos modelos, principalmente essa releitura do SS, demais!

Ridequi said...

Muito bom!!!
Queria q publicassem estas e outros trabalhos seus. Seja em livro, revista, poster...ou miniaturas!!!
Um show de arte!!! Que inveja rsrsrs

Du(irmaododecio) said...

retificando uma informação que dei, parece que o dia da reportagem sobre o IDD (Irmão Do Decio) no Autoesporte vai para o dia 7 de junho e não dia 31 de maio. Se confirmar eu aviso, ok?

Alexandre Guerrero said...

Cara, você se superou!!! Como gostaria de ver uns desses andando por ái. Sou fã de Opala, e já tive um punhado deles. Quando vi esses desenhos fiquei louco. Por que a GM não volta a fazer Opala com esse design? Desculpa, mas eu ainda vou aproveitar esses desenhos para fazer um igual no fundo de casa. Fiquei surpreso com fidelidade com os traços originais. Tudo perfeito: frente, grade, farol, lateral estilo muscle car, rodas, altura dos vidros, traseira, lanternas. Puts, dez! Parabéns!!!

allan millen said...

eu chamei meu pai e mostrei a foto do opala!! perguntei se ele sabia q carro era !!! ele falou puta q pariu vo vende meu fusion e compra o novo opala!! a felicidade dele durou pouco quando falei q era somente uma releitura ... ele ficou espantado com tamanha perfeição...ele teve um opala marrom geladeira gostava muito!!!

realmente to sem palavras!!

alguem sabe me responder se algum desses projetos do DU foi comercializado ou vai ser ainda ?...pq tem poucos dias q conheço o blog..

BA Manager said...

CARAIOOO!! MUITO LOCO!!
Parabens, ficou animal esse(s) Opala!

robson said...

Rapaz,
Muito show o seu trabalho. Os carros eestão muito maneiros.
Vlw

Anonymous said...

A reação do pai do allan millen foi interessante para mostrar o quanto que há de brasileiros querendo um carro de tração traseira fabricado aqui.
Se o cara venderia um Fusion (normalmente tração dianteira) para comprar um hipotético Opala novo, não duvido que choveriam também Azeras e até mesmo Civics, Corollas e Jettas em troca por um hipotético Opala novo. Acho que até SUVs seriam dados em troca por um Opala novo.

Taí, GM, pare de nos dizer que é muito caro ou inviável fazer aqui qualquer carro que não seja de tamanho até médio e notem quantas pessoas querem um carro grande (e racional) que tenha preço não estratosférico e que tracione as rodas de trás. Lembrem-se do velho ditado: "não sabendo que era inviável, foi lá e fez".

Du(irmaododecio) said...

Realmente atitudes como a do pai do Allan que me motivam a criar esses modelos, meu objetivo é atingir esse publico que é fã de tal carro. por ex: quem tinha um Opala ou coleciona e tem vários modelos que sonha em ter um carro zero com linhas atuais mas com detalhes parecidos a um Opala.

André said...

Hoje estou com uma leve (bem leve) preguiça de escrever, portanto serei breve (rsrsrsrs)...

Ficou com uma indentidade única, não há nada parecido com ele! Isso é bom e ruim ao mesmo tempo.

Traria um lucro enorme pra GM, ou a levaria a falência de vez!
Admiro sua determinação e capacidade (que até revistas de 'grande porte' merecidamente reconheceram), mas opinião é como impressão digital, ou seja, cada um tem uma.

Então, digo que o seu Opala tem "camera" mas faltou "luz" para sua "ação".

Mas acredito que entre "lucro gigante" e "falência", a primeira seria a minha opção, afinal, foi um dos melhores "retrò" que já vi na vida, senão o melhor.

8/10. Nossa, como eu sou chato.

Ronaldo said...

Ótimo projeto, mas o carro compensa as rodas.
Muito legal seu projeto.

Anonymous said...

Navegando pela rede tive a sorte de conhecer os seus trabalhos. Cara, o meu falecido pai era apaixonado pelos Opalas e Caravans; teve 8 GMs. A sua leitura atualizada me levou de volta para as décadas de 70 e 80, de volta ao lado do Seu Paulo. Algumas lágrimas escorreram pela minha face e molharam o teclado. Obrigado! Sergio.

Du(Irmaododecio) said...

Acho q alguns não entenderam o objetivo das rodas, a inspiração veio da calota do primeiro Opala que tinha 6 raios, quem prestar atenção verá a semelhança. A o SS lembra uma espécie de trevo de 5 folhas (se é que existe trevo de 5 folhas, hehe.) Bom, fiz homenagem até nas rodas.

Gustavo Batista said...

Isso me lembra o que meu pai teve um. Uma pena que um caminhao arrancou a dianteira, perda total. Se lançassem este modelo, com certeza meu pai compraria e a familia amaria!
Excelente trabalho, Du!!!
=]

El Misionero said...

Agora esculacha no motor também!!!! Imagina um motor Ecotec 6.4 64v ou 7.2 64v, e bota ele na caranga!!!!