3.9.10

Análise de Estilo: Malibu

 A GMB está trazendo o grande (para os nossos padrões, claro) Malibu e quer abocanhar alguns dos compradores do Fusion, consegue?

Depois de um longo domínio europeu parece que os americanos voltaram a rodar em nossas ruas oficialmente, isso se deve um pouco as boas vendas do Ford Fusion, e para não ficar de fora neste segmento a Chevrolet importou  o Malibu em sua sétima geração como um carro de luxo, ele não chega a ser uma banheira como os americanos costumavam ser, de porte médio por lá aqui ele se encaixa numa categoria entre o Vectra e o Omega (pessoalmente eu gostaria que importassem o Cadillac CTS ao invés do Omega Australiano).
A frente do Malibu é imponente, a grande grade não tem os exageros do Agile (proporcionalmente falando), parece se encaixar melhor ao volume do carro, o desenho do vinco do capô continua para as laterais da grade chegando até a parte mais baixa do parachoque.

A lateral tem linhas elegantes, os cromados estão bem posicionados e sem exageros, as linhas laterais não são futuristas nem ultrapassadas, eu diria que o Malibu conserva um estilo mais "Clean", o teto curvo tem um ar mais europeu. Já as lanternas traseiras de formato irregular ficaram um pouco estranhas, só consigo enxergar dois "chifrinhos", e achei o espaço que abriga a placa um pouco "claustrofóbico".

Conclusão: Um sedan imponente com o bom padrão de qualidade da marca, frente robusta, lateral elegante e uma traseira um pouco polêmica, o desenho não é o que há de mais novo mas é do tipo que não envelhece tão cedo.

Pitaco Digital:  Só modifiquei a parte mais polêmica, a traseira, se querem deixar um ar saudosista de um Corvette as lanternas deveriam ser redondas, tudo bem que esse formato não seja mais novidade, mas os saudosistas do Opala iriam delirar. Mudei também o suporte para a placa. Faltou uma versão coupé, que fico devendo numa futura postagem.

12 comments:

Nanael Soubaim said...

Francamente acredito que consegue. Os alemães estão fazendo a festa nos vendendo carros grandes, enquanto os americanos fazem corpo mole. Talvez Pontiac, Plymouth e a Oldsmobine ainda estivessem de pé, se tivessem vendido seus carros oficialmente no Brasil.

Gostei da traseira remodelada, lembra o Opala em sua versão mais harmoniosa.

Dom Rafa said...

Muito melhor a traseira "Opalesca". Engraçado que o Chevrolet Cobalt, que substituiu o Cavalier por terras norte americanas tinha uma traseira parecidíssima com a sua. Eles poderiam ter adaptado para o mercado Brasileiro, como tantas outras marcas o fazem. As lanternas redondas, além de menos estranhas para os nossos padrões se destacariam das triangulares, que parecem ser a regra por aqui. Abraços!

draco leone said...

muito legal, o malibu mescla esportividade com elegancia, raro por aqui, contra o fusion n sei se da briga, mas que é bem melhor e harmonioso que o sonata que talvez venha pro brasil isso sim, rodas muito bonitas, eu acho no entanto que a frente é mais polêmica do que a traseira, mas era de se imaginar, as dianteiras da chevrolet estão ficando patéticas, até que o malibu esta bem em relação ao agile e o sail.
Hum, eu gosto do omega australiano, ele é o novo caprice, só acho absurdo o preço praticado, 120mil é muita coisa pelo que o carro oferece.
quanto ao pitaco, achei muito bom, me lembra o impala 2003, só falta a faixa atras,ficaria com um ar mais esportivo e cara de mal, mas esta ótimo para a proposta do carro.

Joao Victor Oliveira said...

Oq eu mais gosto no malibu é a traseira, resgata a traseira dos Monte Carlo dos anos 80. Axo que oq realmente deveria ser mudado nele é a dianteira, que poderia ter ficado com um olhar mais agreciv. essa ai ta mt "feliz" oq ,na minha opinião, tira pontos do carro

Luís Augusto said...

Gostei mais da sua versão!

Marcelo said...

A GM deve ter decidido colocar este tipo de lanterna para acompanhar o desenho lateral. Creio que se tivesse um dedo de brasileiro no projeto iriam sugerir a lanterna redonda.

Particularmente, achei que a sua ficou mais harmoniosa. Você tem um dom especial, meus parabéns.

Sabe de uma coisa, é um desperdício muito grande que nenhuma grande empresa te chame para trabalhar, ou ao menos prestar consultoria.

romildo said...

Essa trazeiras com "Chifres" são horríveis. Os Desingners da Chevrolet estão seguindo as linhas da Renaut: INVETANDO COISAS HORRIVEIS. A nova trazeira sugerida é mais amigável.

PAULO RICARDO DE CARVALHO SARACELLI said...

draco leone vc está enganado, o noso omega não é o novo caprice pois este é um carro maior que o omega que l´na autrália é chamado de commodore fabricado pela holden ambos os carros.

Du linda essa traseira, muitíssimo melhor do quea originl com certeza.

draco leone said...

Vi pessoalmente o novo Malibu, um na cor prata e outro cinza, achei muito elegant e esportivo ao mesmo tempo, apesar de não parecer nas fotos, os faróis são até esportivos, a mascara negra da um ar interessante ao carro.

E quanto ao Paulo, as semelhanças entre o novo Caprice, o Omega, o Holden Calais ou Commodore e o Pontiac G8 são claras, não enxerga-las é sinal de problema na vista, melhor consultar um oculista, kkkk.

Nanael Soubaim said...

Estive no XXII encontro de veículos antigos do Cenbtro Oeste, em Rio Verde e uma autorizada GM foi um dos patrocinadores. Expuseram o Malibu. Algo que eu vi claramente, e escapou aos olhos dos leigos, é a robustez da estrutura. Se eu tivesse bala, teria levado aquele preto que estava exposto, e voltado para casa dirigindo-o. Ao vivo ele é bem menos estranho do que pela imagens, ,encara-se-o sem grilo.

Rellik Shredblues said...

Por favor, EXPULSEM os emos do setor de design. Design automotivo NÃO É COISA DE EMO. Design automotivo é coisa de homem. Emo não entende nada de carro. Isto posto, a traseira feita pelo Du ficou MUITO MAIS LEGAL do que a original. Agora, o motor. Eu SEMPRE toco, e SEMPRE vou tocar nesse assunto. Um Ecotec 4.1 24V, ou um Alloytec 4.3 V6 24v cairiam MUITO BEM nesse carro. Longitudinal, tração traseira, e, por favor, flex.

Nanael Soubaim said...

O problema do motor longitudinal, é que o transversal facilita muito a segurança passiva, tem muito menos chances de invadir a cabine em uma colisão. Mas também sou partidário da tração traseira, com bloqueio do diferencial quando a direção estiver alinhada, se a integral não for adoptada.