20.9.10

Mercedes C111

Sempre quis atualizar o clássico dos protótipos em uma versão que pudesse finalmente ganhar as ruas...

Usei como base o Mercedes SLS, as portas são as mesmas mas por causa do motor entre-eixos precisei avançar a cabine diminuindo o capô que ficou bastante afilado na extremidade. O entre-eixos também foi levemente alongado.




Os C-111 originais
O C111 foi um protótipo da marca apresentado na década de 60, mas nunca chegou a ser vendido, era uma espécie de veículo utilizado para testes na fábrica, alguns prótótipos possuiam motores Wankel com 3 ou 4 rotores, outros  eram a Diesel, ele quebrou recordes de velocidade na época, passando dos 320 km/h.



 História da Daimler-Benz (Mercedes)

Em 1880 Gottlieb Daimler deu início a era da motorização ao passar dos motores a vapor e a gás para motores de combustão interna cuja confiabilidade permitia a construção e venda de veículos completos, Karl Benz conseguiu os mesmos resultados.

DAIMLER - Em 1890 Daimler e o amigo Wilhelm Maybach fundaram a Daimler Motoren Gesellschaft para a produção de motores e carros, o primeiro veículo a
venda foi o Riemenwagen, inicialmente com motor bicilíndrico de 4 a 6 cv, já em 1898 adotou motor de quatro cilindros.
O Consul do Império Austro-Hungaro Emil Jellinek desempenhou importante papel no desenvolvimento técnico de Daimler, ele havia comprado em 1897 um modelo Daimler, ele achou a velocidade de 24 km/h muito baixa e encomendou mais dois modelos que chegassem a 40 km/h, no ano seguinte o carro entregue é o Daimler Phönix de quatro cilindros. Jellinek acabou se tornando revendedor dos carros Daimler e também os usava para fins de competição, para as corridas adotava o pseudônimo "Mercedes" que era o apelido de sua filha e significa "graça" em espanhol. O nome ficou muito conhecido.
Porém, em 1900 morre Daimler, seu filho Paul assumiu e se dedicou a construção de um carro pequeno, o PD-Wagen, o carro de 850 kg não obteve sucesso. Por outro lado Maybach e Jellinek trabalhavam em um carro potente apresentado em 1901 recebeu o nome Mercedes, o carro de chassi comprido e baixo, dava forma perfilada ao carro, o radiador em colméia colocado a frente do motor era uma das características do modelo, que foi muito imitado por outros fabricantes.
Em 1907 Maybach deixou o cargo de diretor técnico sendo substituído por Paul Daimler que novamente pensava em carros pequeno, criou-se o 8/18, 10/20 e 14/30 cv de de quatro cilindros com transmissão de eixo cardã.
Entre 1910 e 1924 a empresa adotava características incomuns para seus carros como três válvulas por cilindro e em 1913 montaram 3 carros com motores aeronáuticos para correrem o GP da França, os Mercedes conquistaram os três primeiros lugares.
EM 1923 Paul Daimler deixou a empresa, cedendo o lugar de diretor técnico para Ferdinand Porsche.
BENZ - Em 1886 Karl Benz patenteou um triciclo motorizado denominado Velociped, tinha motor monocilíndrico que usava combustível líquido, o Ligroin. Em 1888 Emile Roger que representava os motores estacionários Benz na França, encomendou motores e peças originais, montava e os vendia com o nome Roger-Benz, Roger teve importante papel pois tornou a invenção de Benz conhecida.
Em 1893 era lançado o Victoria de quatro rodas, nesse mesmo ano Benz projetou um carro popular de baixo custo e o primeiro carro produzido em série, o Velo de 1,5 cv.
Para acompanhar o ritmo acelerado da produção a fábrica foi ampliada e passou a se chamar Benz Co. Rheinische Gasmotorenfabrik AG. Karl Benz que não estava habituado com políticas empresariais de grandes proporções se viu obrigado a introduzir várias modificações em seus carros como bomba de água e ignição com magneto Bosch, marcha a ré, barra de direção inclinada, motor dianteiro, entre outros. Mas os Benz pareciam antiquados frente a concorrência, e as vendas caíram, a diretoria meio que a contra-gosto de Benz contratou um grupo de técnicos franceses e lançaram uma nova série de carros, mas após o modelo Parsifal Benz se desentendeu com o chefe da equipe Marius Barbaroux, pois ambos atribuiram a autoria, e se demitiram, mas Benz foi chamado de volta, o Parsifal graças aos êxitos esportivos vendeu bem.
As competições e a rivalidade com a Daimler deram fôlego a Benz para chegar aos anos 20 entre os grandes fabricantes, chegando até a superar a Daimler, mas a primeira guerra fez as montadoras reduzirem suas produções, em 1923 construiu um trator a diesel e um caminhão mas em 1926 as empresas Benz e Daimler  resolveram se fundir, que viria a ser a Daimler-Benz AG e os carros passaram a se chamar Mercedes-Benz. Benz faleceu em 1929.
Durante a década de 30 fabricaram bélissimos modelos como os clássicos 500/540 K, durante a segunda guerra, a empresa forneceu veículos para a guerra.  No pós guerra a Daimler-Benz foi obrigada a diversificar sua linha que além dos modelos luxuosos e para competições, fabricavam modelos menores, além dos caminhões e ônibus mas sempre com uma qualidade superior.
Em 1953 surgiu o esportivo SL para competições e mais tarde para venda normal, o impecável modelo possuia portas estilo asa-de-gaivota. Para os mais luxuosos a Classe S e um pouco abaixo a Classe E, que prevalecem com esse nome até hoje através de várias gerações. Em 1979 foi introduzido o utilitário Classe G e na década de 80 o Classe C, com porte de um sedã médio.
A década de 90 foi marcada pelo lançamento do monovolume Classe A, o menor modelo da marca com a estrela de 3 pontas de todos os tempos,sendo produzido inclusive no Brasil, onde é tradicional fabricante de caminhões. Posteriormente foi apresentado o Classe B, monovolume de maior porte e a Classe M que era um SUV de luxo. Em 1998 ocorreu a fusão com a Chrysler tornando se Daimler-Chrysler.
Nos dias de hoje a Daimler-Benz (já separada da Chrysler) inaugurou o segmento dos coupés de 4 portas com o CLS e marcou o retorno do Asa-de-gaivota (Gullwing) com o SLS. A marca ainda possui as divisões Smart (minicarros) e ao ressurgimento da divisão Maybach (modelos de alto luxo comparáveis aos Rolls Royce).

Fonte Histórica: Enciclopédia do Automóvel (Abril Cultural)
Fonte de Imagens: http://www.autowp.ru/mercedes-benz/

10 comments:

Nanael Soubaim said...

E já começou a fabricar seus helicópderos de alto luxo.

O caro está irretocável. Para a motorização, eu colocaria um rotativo de três pistões acionando um alternador, que alimentaria as quatro motorrodas, as perdas deste tipo de transmissão não chegariam a cinco por cento, levando em conta a excelência técnica da marca, enquanto a transmissão mecânica desperdiça até um terço do que o motor produz.

A história foi bem resumida e bem pesquisada, só peca por não citar a mulher sem a qual o triciclo de Benz não teria a credibilidade do público, e o autómóvel ainda hoje seria artigo de luxo: http://nanaelsoubaim.blogspot.com/2007/01/ave-berta.html

Victor Braga e Bravo said...

Eu só colocaria aquelas barbatanas laterias a mais. O carro está perfeito, excelente trabalho!

Rellik Shredblues said...

Eu colocaria um minimotor a jato, alimentando um gerador, que por sua vez, alimentaria as motorrodas.
Ou um V8 5.5 quadriturbo (um turbo para cada dois cilindros). Ou um V12 6.5 hexaturbo. Ou um motor W20 7.6 decaturbo.

Joao Victor Oliveira said...

Na moral Du, TÚ É MUITO FODA!!
"Quando crescer, quero ser igual a você" kkkkkk

Joao Victor Oliveira said...

Bom, eu axo esse carro mt massa, só axo que a mercedes deveria ter fexado a area dessas colunas atras como fizeram com o delorean (no prototipo era assim a traseira)mas o carro é mt lindo e isso e besteira em relação a toda beleza que ele tem. e tbm pelo fato de ser um prototipo ta perdoado... ^^

Du said...

Eu tinha uma miniatura dessa da Matchbox, pena que eu era criança na época, e consequentemente foi dizimada. rsrs

Joao Victor Oliveira said...

aqui na minha cidade tem uma loja que vende brinquedo antigo (não pq é a especialidade da loja, é pq ela é tão falida que os brinquedos que ela vendia antes tão lá até hj) e lá tem uma dessas ai, uma dessas e um prsche 914. só não comprei pq é em plastico bolha e eu não curto mt essas minis (e pq é mt caro tbm pra um brinquedo de plastico bolha :X)

Alisson miolA said...

Du, fantástico o projeto do Mercedes C111. Olhando para ele, inegavelmente me vem a cabeça a imagem do icônico DeLorean DMC-12.

Gostaria muito de ver uma releitura sua desse incrível modelo, que entrou pra história na Trilogia "De volta para o futuro"

Nanael Soubaim said...

João Victor, procura no Mercado Livre que tu encontra. Esse povo acha que quem gosta de antiogomobilismo e memorabilia usa dinheiro com papel higiênico, e perde totalmente a noção de valores.

Rellik, tuas idéias são caras, mas excelentes para as versões top de linha.

Não canso de olhar para este carro.

Bob Ramone said...

ja pedi tanto ao Du um DMC 12 kkk vamo ver se daqui a um tempo ele faz , quando ele se desocupar ^^ abraço Du