7.4.11

O vôo do Uirapuru


O superesportivo da Brasinca em vôo rasante...

Não quis deixá-lo com aspecto ultra moderno, tentei apenas inserir um visual bem agressivo, com ares de superesportivo, mas que de alguma forma lembre o Uirapuru,  o vinco que passa por toda a volta do carro está lá,  mantive o farol redondo e o filete do pisca sai do farol e avança na lateral como uma asa. O detalhe da entrada da lateral na frente da roda é algo que começa a aparecer em alguns esportivos e ventila os freios. 

A traseira tem uma lanterna horizontal que afunda na lataria, mas com uma espécie de pequena grade logo abaixo, o vidro panorâmico está com um corte diferente do original para diminuir o ponto cego.
Eu sei que no original a porta não abria assim, mas fiz dessa forma (estilo Lamborghini) para dar alguma exclusividade ao modelo. Muitos vão achar que a frente ficou parecida com a do atual Camaro, mas é só comparar principalmente o corte do capô com o do modelo original que verão semelhanças, é apenas coincidência, garanti que não foi inspiração no Camaro e sim no 4200GT mesmo.
O aerofólio levanta em altas velocidades, uma traquitana que está na moda hoje em dia, rs.
Para manter uma tradição na motorização, ele poderia ter um motor Chevrolet Vortec 4.3 V6 com dois turbos,  mas caso os investidores imaginários forem  mais generosos no projeto, poderíamos importar um Northstar V8.
Para quem se lembra do Gavião, fiz esta Shooting Brake que poderia ser usado para longas viagens ou como viatura da polícia rodoviária.

Encontro de gerações


Imagens em 1600x1200
001 - 002 - 003 - 004


História do Brasinca 4200GT ou Uirapuru

Fabricado pela Brasinca e inicialmente chamado de 4200 GT, um tempo depois passou a se chamar Uirapuru, foi o primeiro esportivo brasileiro de alto desempenho, projetado por Rigoberto Soler Gisbert (autor do Willys Capeta), foi lançado em 1965, o motor era um seis cilindros da picape e caminhão Chevrolet, só que com 3 carburadores, ao contrário do que muita gente pensa, não era o motor do Opala até porque o Opala nem existia nessa época.


O uso do aço era evidente, pois tinha chassi próprio feito de vigas de aço e sua carroceria era de chapas de aço.  Traços bem exclusivos como o vinco que passa por todos os lados do carro, cabine recuada e capô alongado davam personalidade ao carro, as portas ao abrirem cortavam um pedaço do teto.
Após um ano a Brasinca descontente com as poucas unidades vendidas, vendeu o direito de fabricação para a STV, empresa que Rigoberto Soler dirigia,  em 1967 surgia um modelo com faróis quadrados e também um modelo conversível, mas foram vendidas apenas 3 unidades.

o Gavião era um protótipo de uma shooting brake, não foram fabricados mas o exemplar foi doado a polícia rodoviária.




Na época houve muita controvérsia com a inglesa Jensen que em 1966 apresentou o modelo Interceptor, claramente inspirado (ou plagiado) do Uirapuru. A Brasinca chiou na época, coincidência ou não era bem parecido mesmo.

25 comments:

Rodrigo said...

Belo resgate! Com a pintura da moda (Branco) deve ficar interessante! E obrigado pelas imagens em alta resolução! Meu desktop agradece!

fabiovalinhos said...

nao tenho palavras, vc é o cara Du.

73 55

Max Luppe said...

Trabalho sensacional e primoroso. Parabéns.

Matheus Klein Schaefer said...

Ficou lindo!

Fred Guilhon said...

Simplesmente LINDO!!!

P A R A B É N S

Ronaldo said...

Sensacional!!! NOTA 1000!!!!!

Alisson miolA said...

Incrível! Parabéns!

Darthvex said...

Gostei muito da shooting.

Mandriow said...

Perfeito!

Nanael Soubaim said...

Isto sim é carro de polícia, não aquelas tranqueirinhas de mil ou mil e quatrocentas cilindradas, que só pegam força depois de três mil giros, que temos em Goiás.
A abertura das portas eu diria que ficou mais funcional, pois elas são grandes, pioradas pela pouca altura do teto, assim facilita o acesso ao banco traseiro. A frente não me pareceu tão agressiva, ficou brava e sóbria, dizendo para não se meter que aquilo é briga de cachorro grande.
Como ele usava mecânica GM canavieira, eu colocaria um Smal-block semi-eléctrico com quatro motorrodas de corrente por pulso electromagnético, fornecido por capacitores variáveis, com isso ele correria como se tivesse um quarto a mais de potência e beberia pouco em baixa velocidade.
Alemães e japoneses estão com tecnologias prontas que barateiam e agilizam a produção de carrocerias de fibra de carbono, podem montar uma em até um minuto, pode prever uns duzentos quilos a menos neste carro que os custos já compensam.

roger said...

Porrada! Mto Bom!

Gustavo do Carmo said...

E aquele projeto do Uirapuru e do Interlagos de 2006, 2007? Você tinha participação?

Du said...

Não, aquele parece que foi o filho do Rigoberto Soler que projetou, se não me engano.

JONASJD said...

CARA MATOU A PAU.... TA MUITO LINDO... ME FAZ ATÉ SONHAR EM VER UM DESSE GEITINHO RODANDO NAS RUAS..

Marco Antonio said...

Muito bom, mais uma vez uma projeção de muita beleza e que seria de boa aceitação no mercado, uma pena que não tem quem banque.
Eu acho que pra continuar com a tradição nos motores, ao invés de se usar outro Chevrolet, acho que seria legal usar outro motor derivado de um motor de picape ou caminhão pequeno, como o motor do Dodge Viper (derivado de um motor da Dodge Ram) ou o motor do Ford GT e Mustang Shelby GT 500 (derivado de um motor da Ford F150).

Carlos said...

Sensacional!! Ficou demais. Outra coisa,olha a última foto do modelo original de lado, é o sp2,a VW o imitou.

edmar_fernandes89 said...

Perfeito. A Bertin Rossin poderia transformar esse sonho em realidade...

Sergius said...

O Simca Xangô, projetado por Anísio Campos, foi a composição mais harmônica desse estilo, bem característico na época.

PAULO RICARDO DE CARVALHO SARACELLI said...

Caraca Du que que isso mano, muito show, pra mim até agora a melhor releitura que vc já fez, nada como uma belíssima releitura depois daquele chevette feio.... rsrsrs

Marcelo said...

Com este capot largo e comprido, eu me aventurava em colocar um motor boxter, algo parecido com o motor da subaru ou alguma invenção nacional maluca que fosse forte.

paulo said...

Dude, sou designer dos 80 e acho que não vi nada parecido do que imaginei com o eu faria ... congats ,man eu ainda tenho que comparar as vemaguetes ( novas SOUL remodeladas) Design novo é isso... Koiza LOka! agora tenho mexido + com fontes de energia do que design ; Podemos 2 share !!

paulo said...

@Nanael sabe um oc do que tá falando ... oresto tá no Mad Max 1, ainda ... mad 2 e mad 3 já nã tinha + combustível fóssil, ou se tinha era prá GUERRA !! Design + sustentação !! Bora lá???

Ronald said...

Parabém, gostei muito do estilo e como um Brasileiro frustado por não ver incentivos para um bom projeto de carros nacional. Vi falir a Gurgel e, ver um sonho de um esportivo ou super esportivo como o sueco Christian Von Koenigsegg que projetou e teve incentivo do governo e empresário obtendo um dos melhores super esportivos do mundo o Koenigsegg CC. Ter um veículos de qualidade nacional daria para nós brasileiros muito orgulho. Gostaria de ter condições de investir neste seu projeto. Meu PARABÉM...

CECAPI said...

Voce é incrível cara, viajei no tempo agora, adorei os Pumas.Parabéns. Tenho um Moto Amazonas 1600 79, ja pensou...
Décio (Sou seu chará?)

Du said...

Opa, você é chará do meu irmão. Eu sou o irmão do décio. rsrs